quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Quero ser o teu passado, viver o teu presente, e sonhar com teu futuro!

Sentei-me agora defronte ao mar, e de cara me peguei a pensar nos caminhos que trilhei...

Se hoje me considero um poeta, devo tudo aos corações por onde trilhei meus caminhos e tive guarida, enfrentei curvas perigosas, penhascos, abismos, mas também passei por campos floridos capazes de causar alegrias e desejos sem qualquer forma de descrever, tive alucinações e desilusões, tive meus medos aflorados e meus delírios desejados por muitos, fui um desregrado e ao mesmo tempo o vício de muitos, fui a medida certa para uns, hoje sou pensamentos proibidos, vivo de meus pensamentos, sei que muitos vivem e sentem meus pensamentos, outros suspiram meus pensamentos, mas o ministério dos Bruxos adverte; ler muito os pensamentos de um bruxo pode causar doenças do coração... “Paixão mesmo”

Muitos podem dizer que os poetas vivem em um mundo de ilusão, mas acho que vivemos a realidade, e quem não sonha vive a espera da morte, a paixão não é um faz de conta, ela nos da à sensação de sermos imortais, ela nos faz esquecer a hipocrisia, o egoísmo, as mentiras, se bem que tudo isto eu afundei no mais profundo oceano, não sei mais o que é ter estes sentimentos, afinal hoje vivo de meus pensamentos, sou um louco, e loucos deliram, no caminho da paixão encontrei escravos da ternura, da amizade, encontrei outros poetas, bruxos e bruxas com os mesmos pensamentos, todos repletos de poesia, que também passaram pelas criticas da censura, entregamos como resposta uma rosa, sem espinhos e de botão aberto, afinal falamos de amor, todos os tipos de amor, amor de pai, de mãe, de filho, de avós, de amantes e até mesmo de irmãos de sangue ou não.

Sempre a cada dia tentamos decifrar os mistérios da paixão, cada bruxo ou bruxa com suas idéias, com seus pensamentos, uns agressivos outros de fala mansa, outros mais ousados, mas todos com uma finalidade só...

Mostrar o caminho do Amor!

E que se atreva o primeiro a querer achar um atalho, pois com certeza vai se perder nas vistas do incontrolável, da utopia e do faz de conta!

By Bruxo

segunda-feira, 19 de outubro de 2009


Estou pronto para meu julgamento, eu que sempre quis ajudar e muitas vezes fiz papel de juiz estou em um tribunal como réu, todos estão prontos a me julgar, afinal escrever hoje virou crime, ter idéias é como cometer um homicídio, as vítimas dão queixas, induzindo você a acreditar ser uma pessoa que realmente não é... Aponta o dedo na tua cara e diz que você merece ser castigado, neste tribunal o mundo e meus amigos são minha defesa, não cabe a mim agora decidir se sou culpado ou inocente, não apresentarei provas, vou me deixar ser julgado, e fingir nem ouvir a sentença, sentarei aqui no banco dos réus, e me deixar levar por uma vida que nunca escondi, é espantoso o crime que cometi, um crime de ajudar aos amigos necessitados, dar meus ouvidos e coração para apoiar, e ser julgado por não ouvir minha família, gostaria de saber porque as pessoas se acham no direito de julgar, condenar, estou na frente de um juiz cego, nem sequer um poeta... Cometi um crime e devo pagar pelo mesmo.
Minha sentença esta prestes a sair, e acredito que terei minhas mãos amputadas por tal crime...
Me perdoem meus amigos mas a revolta é muita... Realmente estou muito triste !
Mas minhas ideias e minha consciência estão limpas...
Um dia eu volto!
Agradeço a todos, estarei recluso por um determinado tempo!
Até breve...
By Bruxo

domingo, 18 de outubro de 2009

Um Bruxo delirante




Ao acordar me veio uma imensa vontade de ler o livro da minha vida.
Sentei-me na mesma pedra diante do mar e ao olhar para o horizonte comecei pelos amores... rsrs
Logo por onde?
È nestas paginas rasgadas, amareladas que ficaram as marcas de uma vida, meus sonhos, minhas esperanças, e ao traçar meu caminho de volta parei em pontos onde meus dias tinham essência, dias em que eu tinha audácia de amar... Não tinha medo de oferecer flores, de ligar e dizer o quanto és amada, sorrir por sorrir, hoje o tempo não me assusta mais, não me importa se avança ou regride, minha mente parou no tempo em que te conheci, não tenho coragem de seguir adiante na leitura da minha vida...
Antes preciso achar a razão dos meus dias, preciso de um amor leve, com o mesmo sorriso... Aquele que chamam de puro, sincero, cheio de vontade, de paixão, que comete loucuras, o mesmo desvairado, sem noção, que age por instinto, pisa leve, anda solto...
Aquele que se encanta com noites enluaradas ou até mesmo com uma noite chuvosa.
Um amor que desenha horizontes coloridos, que sente o desatino do beijo, acelera o coração e acalma a alma.
Agora vejo as gaivotas pairarem no ar, como se fossem expectadoras das minhas palavras ditas ao vento, por certo tempo acredito que elas me escutam... Em total desatino lhes peço que vão em busca de um amor assim, e como se me entendessem, saem a planar em direção ao horizonte...
Fecho o livro, e saio em rumo aos meus dias, a vocês só deixo a capa para apreciarem, no qual está o meu rosto...
O rosto de um delirante Bruxo!
By Bruxo

sexta-feira, 16 de outubro de 2009



Vejo você como a criança risonha que abraça a vida como abraça um bicho de pelúcia, você só soma não subtrai, sempre com um gesto amigo, segura o tempo, apressa a verdade!
Veleja com seu barco entre sonhos, batizou teu barco de vida, onde teus marujos se denominam ânimo e vontade... Neste barco o Amor entrou como passageiro junto com a paixão, sendo bem tratado pela amizade, adora velejar neste barco de sonhos! Nele o poema ganha vida, as lágrimas viram sonhos, e as verdades não doem!
Sejas sempre feliz minha criança!

By Bruxo

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dia a dia ...




Ao chegar em casa, me deparei com uma corriqueira situação, não tinha energia na minha residência, pensei comigo que droga, não poderia acontecer durante o dia, justo agora que cheguei cansado, como o portão de minha residência é automático, tive de destravar, bom foi um porre para entrar, mas assim que entrei mesmo sem energia, andei por todos os cantos sem problema algum, a falta de energia não me afetava, afinal conheço cada cantinho da minha casinha. Sentei em minha poltrona apreciando meu velho uísque aquele cachorro engarrafado e fiquei ali, a esperar o retorno da energia elétrica.
Já devem saber que minha cabeça começou a pensar, pareciam engrenagens enferrujadas, rangia tudo... rsrsrs
Peguei-me a pensar, porque não podemos conhecer nosso coração ou o modo de amar, como conhecemos nosso lar, afinal de contas o amor não mora no coração?
Acho que meu coração é um lar desarrumado, a pessoa amada quando entra mesmo quando claro tropeça em cicatrizes, escorrega na solidão, se fere com as palavras soltas pela escada!
Sem contar com a pia cheia de almas a serem lavadas.
Na dispensa nada que alimente, talvez por um único motivo, o último inquilino deixou assim...
O coração uma verdadeira zooooona!
Talvez tudo fique claro, quem sabe se eu retirar as cortinas negras das janelas deste velho coração, que necessita de algumas reformas, tanto por dentro como por fora...
Penso...penso...penso... Quem sabe se eu encontrar uma bela decoradora, ou uma bela arquiteta... Voltou a energia... deixei de pensar...pensar...pensar...pen...pe...
Acabou a minha energia!
By Fábio


Se eu disser tudo que penso,
seria como louco interpretado!
E o que sabem as pessoas ,
de um amor mal acabado ?
Viriam-me chutar as latas ,
maldizer as cascatas ,
excomungar o luar ...
Maior que o ódio em mim, xingar as estrelas sem fim
em desafinada serenata !
Se eu disser tudo que penso...
Maldigo também o vento , que me traz lembranças tuas !
Palavrões com eco e tudo , derramados pelas ruas ...
Um amor mal acabado,
uma dor mal acabada !
Nascente da minha alma rasgada ...
Danem-se todas as flores ,
todas as cores das estradas .
E o que sabem as pessoas
de um amor mal acabado ?
Nada ! Nada !
Se a dor parece à toa ,
deste pobre miserável ?
Que morram as aves e todos rios correntes ...
O sol que apague nos poentes !
Que sejam bem-vindos os descrentes do amor eterno ...
Recaia sobre mim e sobre o mundo ...
Avasssalador e eterno inverno !
Nem me queiram consolar ,
sequer um voto de pesar ...
Maldigo já os meus amigos !
O que sabem eles ,de um amor mal acabado ?
Nada ! Nada !
Só eu , comigo , num confronto
armado !
Mato-me para o amor ,
calo-me na minha dor ...
Mal interpretado !

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

24 cartas



Chegando em casa hoje, ao abrir a caixa de correios, em meio a tantas correspondências, um postal teu de Zurich, ainda na garagem no meio da escuridão esforçava-me de todas as maneiras para ler... Até que em determinado momento, me dei conta de qual o motivo de não ler as tuas 24 cartas ainda lacradas, 22 anos se passaram, e eu ali me esforçando para ler um postal teu, que continham duas ou três palavras, sabes que continuo na mesma casa, a esperar por um sei La o que!
Desci ao porão, abri aquela caixa e retirei as 24 cartas, achei que teria coragem de abri-las, mas não tive, sabes que sou fraco, o medo me apontou para outro lado, do lado de fora ainda às marcas das lágrimas sobre aquele azul bic, com corações a enfeitar, carta datada de 06/09/1987... O cheiro ainda forte, ou minha mente ainda desfruta dele, o tempo para e penso num passado de futuro... Como pode os anos se passar e os sonhos permanecerem na memória... Eu poderia começar a escrever este texto como qualquer outro, mas ele é especial, não posso começar “hoje me peguei a pensar em você”, não poderia porque penso em você a todo instante, e penso como poderia ter sido, mas fico com as partes boas na minha memória, lembro como saíamos na cidade, como crianças, soprávamos nas vitrines e decorávamos com corações, não precisávamos de arvores para gravarmos nossos nomes, teu sorriso por debaixo daquele cachecol, nós dois sem dinheiro, dividíamos uma garrafa de vinho feito pelos padres, em uma única taça para aquecermos do frio... As promessas de um futuro... Ainda lembro-me da tua carta de adeus, a seguir vieram estas 24 que hoje não tenho coragem de abrir...
Medo?
Talvez sim, medo de que esteja com outro?
Não seria tão egoísta, não sei, só sei que nestes 22 anos, não se passou um dia que não pensasse em ler tuas cartas, muitos porres para a tal coragem... Nasceram mais amores e morreram também... Mas este poderia ter sido diferente...
Talvez eu tenha medo de perder esta minha dor, a mesma que me faz escrever, não entendo nada de amor, só sei que é com ele que aprendo a escrever e sonhar... Você me ensinou que sermos diferentes não significa que somos loucos, somos únicos e meio a tantos normais, somos a pedra reta no meio das tortas.
Já me deram mil conselhos sobre o que fazer com as 24 cartas, mas nenhum como o de hoje, e acho que deve ser o mais correto... Elas me fizeram companhia por estes anos, e é chegada a hora de queimá-las... Vou me libertar!
Adeus amor, agora quem está te abandonando sou eu... Vou tentar ser feliz!
Como diz uma amiga, a carne sangra, mas cicatriza!
Adeus Amor!
By Bruxo

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Dona das poções




Sentado em minha varanda tomo meu primeiro café matinal, e logo me vem a tua história na mente, não sei se te chamo de fada ou lhe chamo de feiticeira?
Você dona desta tenra idade, que se envolve com o sobrenatural, que gosta de emoções, e que me parece estar sempre em busca de uma boa leitura!
Que leu tudo sobre o amor, sobre os segredos do fogo, magia da sedução e sobre todos os elementos originados da paixão!
Você que sabe sobre os pássaros, que medita sob o sol, tua energia vem dele, teus sonhos nem os duendes muito menos os gnomos enxergam você “Morgana”, rainha das fadas, Bruxa... Dona das poções.

Se deixou apaixonar?
Porque Morgana?
Você que nunca precisou de professor!
Você subiu naquele 7º andar, de mãos dadas, beijos pelos corredores, chegaram daquele passeio romântico , risadas não sobravam, eram todas consumidas pelo desejo ardente, pela fantasia, e pela libido...
Você crente de si, teus cabelos contrastavam com o brilho que vinha do luar, tudo corria bem, você com tuas características místicas, toda misteriosa dona de um corpo de fazer sussurrar qualquer homem, dava medo te ver andar, passos leves como a de uma felina, alma da noite, lábios sabor de morango!
O champagne já tinha sabor de ervas, embriagava somente pelo aroma, você entoou teus cânticos, disse tuas línguas estranhas, a excitação tomou conta daquele homem, levantando teu vestido, passando suas mãos por todo teu corpo, quebrando tua magia, a sensualidade, o amor tomou conta dos corpos, as musicas vinham nem se sabe de onde, tudo era mágico, e acreditaria que tudo não passou de um sonho?
Se não fosse ainda os perfumes de jasmim que deixaste no ar...
Penso agora como estás frágil! E me pergunto se vale apena amar novamente?
De repende, eu te respondo, cuidado com os falsos magos...
Mas não tenha medo dos Bruxos!
Sendo assim é viver com medo, é como viver um amor solitário...
By Fabio

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

A chuva que cai


A chuva que cai hoje me fez também cair em idéias e pensamentos, talvez por querer expor aqueles sentimentos antes ignorados por mim. Vejo que os sentimentos se confundem... Quem sabe a chuva esteja me distraindo, às vezes forte por outra suave, assim como minha vida, que por vezes se mistura com o vento, com os cheiros da mata, com o cheiro da pele, com a força da natureza! Vivo em um mundo agitado, uma hora aqui outra ali, e sempre me falta tempo para uma conversa interna, mal escuto meus desabafos, meus desejos e às vezes acho que não me conheço, tenho a sensação de ter medo da verdade, como é difícil ser sincero conosco, qual a razão de mentirmos a nós próprios, daí penso do que somos capazes! Na vida temos idéias e ideais, mas qual a razão de criarmos fantasias, estão vendo como meus pensamentos se misturam, estava a falar de algo e já mudei para outro assunto, adoro escrever, ainda mais neste meu mundo virtual, aqui posso falar o que penso, como quero, sem medo de críticas, pois na vida do dia a dia, no convívio familiar, se expormos estes pensamentos, podemos pagar um preço muito alto por eles... Odeio conversar comigo mesmo, me sinto um louco, mas é um mal necessário, aqui não temos embaraço, não existe a vergonha, assumimos o que somos se poetas: Loucos somos! Se amantes: Loucos somos! Se amigos: Esperançosos somos! Vivemos numa sociedade que nos perturba, Aí, quem sabe esteja o motivo de negarmos muitos sentimentos, a chuva acalmou, tento me acalmar com ela... Tento fazer que meus pensamentos não se destilem, não afete meu modo de viver! Mas não tenho como fugir da verdade! A pureza da verdade é única... E como não sou puro, não sei se consigo conviver com ela, por este motivo, vivo na ilusão, escrevo para um público romântico, que sonha, e acredita na verdade! Assim, vejo a chuva cair, penso em ti, bom penso em ti todos os momentos... Vejo-te andar por esta casa, seu sorriso me encanta doce como meus pensamentos agora... Olho para a lareira deito no tapete ao teu lado, olho para ti com aquele olhar de quando nos vimos à primeira vez, acaricio teu cabelo, encosto minha cabeça em teu colo e vejo a chuva cair das nuvens cinzentas, mas já não sinto o frio! Agora a chuva cai com mais intensidade, o vidro enche-se com milhares de gotas, esqueço o mundo. Também o mundo lá fora não me interessa. Você é que dá sentido à minha vida, você é o meu mundo. A chuva esta cessando... Então, a realidade invade a casa e todas as minhas esperanças se vão com ela. Aconteceu mesmo, você se foi... E o pior é que fui eu o culpado. Não acredito que conseguirei ir atrás de ti. E se te encontrar nem sei o que dizer, vivo neste mundo, onde aqui meus pensamentos fluem, o contrário da vida que vivo fora destes megas, gigas e pixels... Ficarei sem reação e isto não basta para ser feliz! A chuva volta a cair e eu continuo a escrever. Envolvo-me com meu espírito e neste momento de discussão, pois não é mais uma conversa com meu eu, agora se tornou uma discussão e no meio desta discussão só o papel me entende, embora ele tente acompanhar os meus pensamentos. Não me importo com o que estou a escrever, no final vou ler, afinal no meio desta loucura, o que importa? Se ninguém compreender! Não me importa também, basta que eu compreenda, pois tenho a necessidade de preencher este vazio. A vida é tão mais simples dita por palavras! Se eu conseguisse dizer tudo aquilo que me vai à alma, tudo aquilo que estou a escrever, provavelmente ainda hoje estarias comigo, estaríamos juntos e felizes. Mas a poesia de nada vale, quando não a demonstramos e agora estou só, e só vou continuar até este dia chuvoso chegar ao fim. Já não falta muito.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Não somos nada







Não somos nada, se não uma ferramenta nas mãos de Deus!
Hoje, ao acordar de uma cirurgia, ainda sob o efeito da anestesia, numa sala de recuperação, olhei para um lado e olhei para o outro e não via uma pessoa sequer, pensei comigo... Morri!
Olhei para meu lado esquerdo e só conseguia ver ainda tudo meio turvo, um corredor longo com uma porta no final, olhei para meu lado direito e só consegui enxergar um vaso com flores.
Tentei mexer minhas pernas, mas sem sucesso não conseguia, comecei a entrar em pânico, pensei pronto, estou no IML e irão daqui a pouco começar a autopsia... To lascado! Tentava balbuciar algumas palavras, mas ainda estava meio grogue, mal conseguia falar meu nome... Sem me dar por conta as lágrimas tomaram conta do meu rosto, piorando a situação, pois nem enxugá-las não conseguia, ali naquele momento percebi que realmente não somos nada, ali diante da impotência de sequer poder mexer as mãos... Pensei em tantas coisas que queria ter feito... Gente, tudo isto achando que já tinha batido as caçoletas... RS
Dali parti para a revolta, comecei a falar com Deus!
Pô Senhor! O que eu fiz?
Será que não dava pro senhor ter me dado mais um tempinho, poxa queria ter conhecido tantos lugares que o senhor criou, queria ter pelo menos amado mais.
Mas de repente me veio uma curiosidade de saber o que teria atrás daquela porta no fim do corredor. Olhem a minha prepotência, achei que ali estaria uma cúpula de anjos e demônios a discutirem o meu destino, nestas oras eu acho e tenho a convicção de que não sou certo não... Kkkkk
Senti-me no filme O alto da compadecida.
Agora eu acho graça, mas juro para vocês, entrei num pânico geral!
Pensei em mil desejos e vontades, mas ali deparado com aquele vaso a meu lado, minha única vontade naquele momento era o de sentir mais uma vez o perfume das flores!
Hoje reconheço o quanto somos egoístas, desde uma simples atitude de querermos parar na porta de entrada do shopping, por plena preguiça de andar uns metros, hoje vejo como é bom poder caminhar, termos a nossa independência, quando adentraram duas mulheres uma de branco outra de azul, ali foi um dos poucos momentos de felicidade que senti na vida, quando elas falaram: ele acordou, só que ele esta sujo, precisamos trocá-lo, me senti um nada...
Ali reconheci que somos exatamente nada!
De hoje em diante, mudei meu conceito referente a vida, meus valores em relação a amizade, e principalmente as pessoas, estes conceitos são outros.
O prazer que me deu em olhar pela janela do quarto do hospital o sol e ao final da tarde a chuva, ver aquelas gotículas no vidro, foi como ter uma nova vida em meu corpo!
Neste momento estou aqui na sala de TV, com meu companheiro nas mãos, digitando mais esta experiência e ouvindo, pois cada um tem sua história, e faço questão de ouvir todas!
Porque acredito que em cada uma esta uma lição, que Deus quer que eu aprenda.
Obrigado meu Deus!
Sei que através daquela porta estava o Senhor a me dar mais uma chance...
E prometo não mais desapontá-lo!
By Bruxo

segunda-feira, 5 de outubro de 2009


Vende-se Felicidade!

Seja sincero... onde você viu uma placa com produtos á venda que sejam sinonimos de felicidade, ou ela própia.
É verdade, a felicidade existe, está a venda e pode ser adquirida por um preço bem acessível basta você estar interessado.
E aí? vai querer um quilo de felicidade?
Bom, deixa eu explicar, felicidade...ela está em qualquer esquina ou em todo canto basta você olhar direitinho e tentar prestar bem atenção.
Tá vendo o mundo á sua volta!...você tem milhões de motivos pra ser feliz, nem precisa tentar sair comprando felicidade.
Pois felicidade não se compra, se conquista, se luta por ela, tem que vir naturalmente mediante seus esforços e a sua vontade de se feliz.
Um bom motivo de estar feliz é a certeza da presença de Deus em sua vida, isso já é um ótimo começo, depois você consegue o restante.
Sim, um bom relacionamento humano nos deixa muito felizes, a pessoa amada traz a nossa felicidade, junto com o frescor da noite de lua cheia.
Lembre-se que a cada amanhecer você tem o dever e deverá ter o atrevimento de ser feliz.
Devemos imaginar que tem pessoas que precisam da nossa felicidade, e nunca podemos nos negar de tamanho sentimento.
As pessoas que realmente amamos ao ve-las sorrindo é uma felicidade, um beijo na boca é muito gostoso e as carícias de amor ja diz tudo.
By Bruxo

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Conselho aos machistas





Hoje comecei tentar escrever algo sobre as mulheres, nunca usei a tecla delete como hoje!

A beleza que elas carregam fez com que outras qualidades fossem subestimadas e uma destas qualidades é a inteligência. A exigência da beleza que seja correlacionada com a inteligência faz parte do sexo masculino, porém os homens ofuscam e subestimam esta inteligência das mulheres. Apesar disso, surge um ponto. Nos primórdios as mulheres se acomodaram ou se apegaram demasiadamente a impossibilidade de mudança devido à dependência que elas tinham referente ao poder exercido pelos homens. E as que tentavam, baseavam suas tentativas em fatores falhos, mais limitados possíveis, tudo por desejar o lugar do homem, denominaram-se feministas. Mas por que elas não estão certas? Eis a questão! A revelação dos fatos é sutil. A idéia existe quando colocamos a necessidade de um Amor necessário, ou, melhor, dizendo, o conhecimento acerca da necessidade da união. Nessa união existe o desejo sexual; a mulher tem as mesmas necessidades dos homens, com a diferença de que lhe era negado o direito de expor. É importante percebermos a condição das mulheres e lutar pelo reconhecimento do valor do seu papel social. Se ela foi feita para agradar o homem, que ela saiba que isso pode ser usado da maneira que ela bem quiser. Nesse sentido dá-se a força a elas. As mulheres digo que não usem essa ferramenta da mesma forma que já foi usada, em favor dos homens, mulheres na história morreram para salvar seus homens ou fizeram algo para o bem deles, mas usar de forma inteligente mesmo, ignorando o egoísmo. Uma dessas ferramentas seria a persuasão. A facilidade que as mulheres têm de conquistar o que querem e quando querem é incontestável. Leia Medeia e observe o poder que essa mulher representou, apesar de ter adquirido, no decorrer da história, qualidades que dificilmente outra conseguirá. Mas foi lá e fez. É interessante observar que não são todas que conseguirão obter o mesmo êxito, porque não são atos que conseguiram negar a supremacia masculina, a dualidade fortes/fracos que se diz na história, mas uma mudança de paradigmas tirando tanto o homem como a mulher de seus lugares comuns que tendem a criação de novas concepções é valiosa. Mesmo com limitações pode existir progresso quanto amores, por exemplo. Não é violentar a natureza feminina que iremos conseguir êxito, mas uma reflexão em torno de fatores bem próximos e ir mudando a nossa forma de agir diante do poder (que podemos obter ou colocar a nosso favor) é ousado e engrandecedor para nossos espíritos. Se as mulheres tivessem consciência do controle que elas possuem quando são colocados frente a frente de seus amantes, por exemplo, diferentemente dos homens que dificilmente têm a mesma postura quando são confrontados em situações semelhantes. Penso diferente quando imagino que a mulher tem a capacidade de raciocinar de forma bem mais acertada e quando percebo que os homens são vulneráveis em relação aos seus desejos sexuais. Negue a ele a sua vontade de que seus genes sejam imortalizados, que assim você estará ferindo seu orgulho, tão antigo quanto sua existência. Não falo de pretensão, falo de fatos colocados de maneira não censurada. Não é deter as peculiaridades femininas nem sequer as qualidades masculinas, mas aprender a jogar o jogo da vida. Saber enxergar certas vantagens que são cabíveis e alcançar o sucesso que pode e deve ser alcançado.

Desafiando o juízo as mulheres sempre serão ousadas, atraentes e podem mudar o curso das coisas, são capazes de usufruir de sua inteligência melhor até que os homens.

Se bem que não somos sinônimos de inteligência, o que ela com um beicinho ou uma lágrima no rosto não nos arrancam...?

Diga-me?

Difícil não é meu amigo!


Como disse Clarice, a mulher prossegue sem se conhecer...pois todo aquele movimento feminista não deu às mulheres a autonomia mais necessária de todas que é a libertação das pendências e dependências emocionais que fazem com que até a mais bem sucedida das mulheres sofra por determinados “amores”. São várias as chagas da deusa ferida e cabe a cada mulher a tarefa de reconhecê-las e curá-las. As deusas são atributos femininos riquíssimos de significado, porém, muitas vezes, para que esses atributos fluam positivamente em nós torna-se necessária uma viagem interior, visitando as faces dessas deusas, reconhecendo quais foram feridas em algum momento de nossa vida, quais não foram feridas mas estão de certa forma “reverberando” alguma ferida familiar e ainda estão vivendo um padrão negativo – a sombra, à espera de resgate e salvamento. E o que acaba acontecendo com muitas mulheres desavisadas por aí afora? Uma espécie de cura ao contrário, a mulher atrai um parceiro perfeito para toda a sua “inhaca interna”, ele ativa e alimenta suas sombras, seus medos, e suas deusas doentes são ativadas...e a mulher começa a ser magoada e sofrer e não consegue entender porque sempre isso, não reconhece que está alimentando um câncer emocional, muitas vezes perdendo a noção de limite e tentando fazer aquilo dar certo, num verdadeiro massacre interior... Saber de suas sombras é o primeiro passo para sair do círculo vicioso...reconhecer uma Atena ferida que tem medo de lidar com seus sentimentos e sua sexualidade e que vive só o racional da vida, muitas vezes escondendo-se atrás de um papel profissional...reconhecer a chaga de uma Hera, que vive um pretenso casamento perfeito, mas delega o poder pessoal ao marido e vive a vida dele como se fosse a sua...até ser traída...e depois ainda recusa-se a perder o papel de esposa, convivendo com as traições de Zeus...reconhecer uma Deméter ferida, aquela que vive só para os filhos e que faz até do marido um filho, depois ressente-se quando estes crescem e vão embora, aquela que nutre toda a família, mas não busca sua auto-realização, sendo ela própria a maior carente da relação.

Achei pela net e decidi postar

Estou aqui a imaginar que você és uma Deusa! E se minhas suspeitas estão corretas estou com uma dúvida a me corroer... Que mistura talvez Zeus possa ter usado? Ou quem sabe foi Deus que na sua sabedoria palpitou para Zeus. Aliás, acho que nem pensaria em algo tão lindo! Com certeza até evitaria, com medo de se apaixonar, quem sabe? Eu se fosse Zeus, te reservaria num cantinho do tempo e não permitiria a chave a ninguém! Quem sabe deletaria a senha. Ops!!! Quis dizer a fórmula. Naquele tempo não tinha PC... Não sei me expressar como meu amigo Jabor, mas vou tentar! As Deusas gregas como você são especiais, morenonas, belas, como gostam os poetas, olhos castanhos, boca carnuda e corpo arredondado e longas unhas pintadas para arranhar e rasgar a carne, expor os corações e ganhar os amores dos homens... As vezes te vejo vagando em alto mar... Ao contrário daquelas bruxas romanas senhoras, você se disfarça na juventude de uma linda mulher que em seus longos e negros cabelos cercam e fascinam os mortais, estes olhos conquistadores, vorazes envolvem em doce olhar cor de mel nossos corpos mortais! Estaremos dispostos a digladiar-mos e enfrentar monstros mitológicos, feiticeiras e armas só para degustarmos um sorriso teu que deveras é uma rara beleza. Tu és filha de Zeus que no alto do Olimpo, chama teu nome, resta saber se escutará? Se caso se for, só nos resta esperar o fim dos tempos! Assim termino e te batizo Artemis (Diana para os romanos)...

By Bruxo

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Afrodite




Hoje em meus pensamentos mudei teu nome, te batizei de Afrodite!
Por que é assim que te vejo, Tal como a Deusa Afrodite você tens a força da vida!
E como Deusa Tece vento, cria asas, ri sozinha e canta para lua.
Você não precisa de roupas, de segredos, fala tudo, anda nua.
Põe magia na cama, na cozinha, fé na vida, luz ao norte.
Não tenho como guardar segredos, os pássaros lhe revelam tudo...
Tem a Alma de fada, carma de bruxa num corpo de Deusa!
Nem sempre Rosa nem sempre Fera, nem sempre sutil, age por instinto.
Tem sombra felina, tem garras só que tens uma coisa que te diferencia, deixa rastros, para que te sigam.
Sussurra em meus sonhos algo que passe o dia a matutar.
Pudera entender teus sinais.
Esta minha vontade de encontrá-La, libertá-La e amá-La.
Pudera ser o sopro de Zeus a música dos elfos, a poesia, a arte e o encanto
Você é selvagem... Elfa, demônio, anjo, raposa.
Você é dona das verdades, amante.
Você sabe amar, mas disfarça profundamente.
Sabe trazer para perto, sabe repelir, criar e destruir.
Você sabe me fazer rir, sabe fazer meus olhos brilharem
Você sabe dar sabor a esta paixão...
Você é minha Deusa celestial, selvagem, sublime.
O oposto, o avesso, o simples e o complicado.
Assim como Apolo e Poseidon, deixo-me ser induzido a Amar.
Não um amor egoísta, mas um amor incondicional, um amor dependente...
Um amor que deixa a liberdade de olhar nos olhos teu e dizer: Eu tenho um amor por você inigualável.
È Afrodite não é a toa que tem como Pai Urano e como mãe as ondas do mar...
By Bruxo


quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Matisse




Com quantos megapixels se faz um Matisse?

Aquela senhora certamente escapara de um quadro do Botero. Rsrs
Com a silhueta impiedosamente delineada pela calça fuseau e pela camiseta três números a menos que o necessário, parou por alguns segundos diante do quadro intitulado Nu sentado Contra Fundo vermelho, pintado em 1925 pelo mestre Henri Matisse.
Sacou sua câmera digital cor de rosa de origem sino duvidosa e sapecou uma foto. Conferiu a imagem no pequeno visor de LCD e seguiu rolando pela exposição Matisse hoje, na pinacoteca do estado de São Paulo, capturando com apenas 4 megapixels e em poucos


minutos a obra visual que o gênio francês levou uma vida inteira para conceber e produzir.
Por que ela não parava para olhar os quadros? Não custava nada. Sério. Era sábado, dia de entrada franca. Aqueles quadros demoraram séculos para chegar àquelas paredes.
Custava parar um pouquinho para apreciá-los? Mesmo sendo uma retrospectiva pequena ou uma “microspectiva”, como dizia o texto de entrada, Matisse Hoje é a primeira mostra significativa do pintor no Brasil. Mas ela seguia como Van Damme: nada poderia detê-la. Clique, clique, clique.
Logo, percebi que não era só ela. Pelo menos um terço dos visitantes não observam os quadros em si. Estavam vendo a exposição através das telinhas de seus Blackberries, Nokias e Motorolas. Alguns postavam diretamente para suas paginas no Facebook os quadros que nem tentavam apreciar. “Ele deve ter morrido agora”, chutava outra senhora, errando por apenas meio século, enquanto fotografava uma colagem.
O advento da câmera digital plenamente acessível a toda população do planeta está banalizando o poder das imagens. Do mesmo jeito que o dinheiro na praça desvaloriza uma moeda, os trilhões de fotos geradas todos os dias desvalorizam cada unidade singular. Ao ponto de não conseguirmos mais olhar para uma imagem e sentir tantas emoções assim. Os visitantes fotografam, não para contemplar as obras mais tarde, mas para apenas provar que estiveram lá. Assim acontece com nossos textos, levamos dias, meses, noites sem sono pensando uma forma de colocar bem as palavras, e em questão de segundos alguém vem, seqüestra tuas idéias e nem sequer lhe dá a chance de pagar um resgate.
Quando Matisse mostrou pela primeira vez seus quadros fauvistas no Salon DÁutomme, em 1905, em Paris, algumas das visitantes chegaram a desmaiar. Para gerar esse tipo de reação, uma imagem precisa ser observada com intensa concentração e respeito. Assim acontece com a leitura.

(inspirado no artigo da revista Època SãoPaulo)
(foto ilustradora do Henri Émile Benoît Matisse
(1869-1954) Foto de um Matisse Carmelina

Preciso me remodelar




Preciso me remodelar...
Deixar esta mania de que posso ser dono do tempo ficar dando nomes e predicados a tudo que não precisa e querer estar nos lugares onde a vida já se encarrega das formas e regras.

Eu tenho a estranha mania de complicar tudo!
Com os meus métodos e fórmulas infalíveis que nunca me levou a lugar nenhum, sou às vezes mecanizado.

De tanto eu errar nesta vida eu acabo me esquecendo também de acertar, e querendo acertar eu quase deixo de ser eu mesmo. Eu não quero dizer que penso em você nas madrugadas, que me pego no trânsito a rir sozinho de algo que você falou, por mais que para outros olhos não tenha graça nenhuma, não quero dizer também que você me faz tanta falta que chega a corroer o coração. Eu me esqueço que com o tempo as pessoas acabam se esquecendo de como é bom amar...
Mais do que natural envergonhar-se somente do que é indigno, e que é primordial ser você mesmo. Então porque ter vergonha de amar?
Sei que tenho sentimentos. È normal eu te desejar tanto assim?
E não me fale para deixar de te amar porque eu vou encher a tua casa de flores.

Vou curar toda a carência que você possa ter.

A saudade?
Saudade se cura estando juntinho e com carinho, e só.

E eu que pensei que seriam suficientes todos aqueles momentos inesquecíveis, aqueles que entre um beijo e outro, surgiam sorrisos e entre um entregar-se e outro, eu te olhava atentamente os detalhes, com fome de guardar qualquer imagem tua que pudesse amenizar a saudade que eu começaria a sentir durante aqueles milésimo de segundos depois de você beijar a minha boca que se faria outra vez fria e soltar as minhas mãos pra entrar naquele avião que te levaria para outro lugar que não fosse ao meu lado. Eu imaginava que quando você entrasse naquele avião estaria levando algo de mim, estaria a levar meu amor, meus dias de luz, minhas manhãs que ao acordar eram sublimes com tua presença com teu cheiro...
A minha saudade segue aqui, te manter na lembrança é um artifício de prender tua alma.

Essa noite eu não vou chorar de saudades.

Vou fechar meus olhos, e exigir que as horas tragam você até mim, ao menos mais uma vez
Para que eu possa saber, se você é meu erro ou meu acerto.
By Bruxo

segunda-feira, 28 de setembro de 2009


Ah! Se pudéssemos escolher por quem vamos nos apaixonar!
A maioria das mulheres quando são crianças, sonham em encontrar o príncipe encantado. Elas idealizam o homem perfeito e todas as qualidades que precisam ter, quando menos esperam, se apaixonam, algumas delas caem de amores por aquele que não podem ter.
Mesmo sabendo que ele já está comprometido, elas topam ser a outra.
Este tipo de relacionamento muitas vezes deixa feridas, não apenas na pessoa traída, mas na própria amante. Se apaixonar por um homem comprometido pode acontecer com qualquer uma, porém algumas mulheres só se apaixonam por eles. Por que isso acontece?
A carência, necessidade de afeto e atenção, entre outras coisas. “Ela acredita não ser capaz de encontrar outro homem como ele, pois vê nele o ideal de homem que ela tanto busca”, disse. Mas ela também pode procurar um homem casado justamente por não querer um relacionamento sério. “Ela não quer se casar e ter toda a rotina e cobrança que existe no casamento.”
Há também mulheres que se envolvem com homens aparentemente bem casados pelo simples fato de elas quererem destruir o relacionamento dele. “Elas sentem prazer em destruir o casamento e a felicidade do casal.”
No geral, a outra tem vontade de se tornar a oficial. “O sonho de toda mulher é ter um homem só para ela”.
“No fundo todas as amantes têm a esperança de se tornarem exclusivas e, mais do que isso, oficiais”.
Porém, quando se tornam oficiais, algumas perdem o interesse. Na maioria dos casos, isso acontece quando a mulher não estava à procura de um compromisso sério, e sim de um passatempo, uma diversão. Algumas, por terem baixa auto-estima, também acabam não querendo mais nada com o parceiro quando se tornam a oficial. “Elas podem ficar inseguras e perder o interesse ao considerar que seu parceiro pode vir a procurar uma amante, repetindo com ela o que fez com a antiga parceira”. “Outras podem perder o interesse por se sentirem culpadas de terem destruído o casamento dele.”
Manter um relacionamento com um homem comprometido é ter uma relação pela metade. “É um relacionamento com dia e hora marcados para acontecer, não é algo natural em que ele possa ser procurado a qualquer momento e ela não pode estar com ele em qualquer lugar a qualquer hora”.
“É um relacionamento que traz mais sofrimento do que alegrias.”
Os homens não costumam mentir para suas amantes, mas sim para as esposas.
Eles fazem falsas promessas apenas quando percebem que a amante quer terminar o relacionamento. “Ele diz que vai se separar, que ela é a mulher da vida dele, que está com a esposa apenas por causa dos filhos ou então inventa que a esposa está muito doente e, por isso, ainda não se separou”.
Seja qual for o caso, a mulher que aceita ser a amante precisa entender e aceitar as limitações desse tipo de relacionamento. “Ela corre o risco de ver sua auto-estima ruir.” Tanto a amante quanto a oficial acabam sofrendo com isso. “O sofrimento é proporcional à expectativa que elas têm em relação ao homem”. “Se a amante acredita nas promessas, é porque deseja ficar com ele a todo custo, e a esposa pensa que fez tudo por esse homem porque o ama e se sente apunhalada pelas costas.”

Texto retirado da net, só dei umas retocadas rsrs...achei que devia compartilhar com meus amigos.

sábado, 26 de setembro de 2009

Desculpas








Queria hoje te pedir desculpas!
Quero me desculpar se não consigo te esquecer, se em minha vida só existe você e sonho contigo todo o momento, desculpe se não sou o que necessita e se sou fraco por não conseguir viver longe de você, desculpe se nos meus dias sempre lembro do teu olhar, se em minha vida somente falo do seu sorriso, se sonho que na minha boca tem seu gosto, desculpe se ao fechar meus olhos só vejo você, que saudade! Dezenove anos, filhos casa e sonhos.No fundo do meu coração não sei se vivo e se quero muito mais do que uma simples vida sozinho, desculpe meus sentimentos porque ao falar de ti eu tremo de emoção... Estou mais que apaixonado, somente me desculpe!
Desculpe se te amo e meu sonho existe e estou te escrevendo de dentro do meu coração. De onde nunca mais quero sair, pois o lugar é seu, e  teu nome e teu cheiro está vivo nele, minha vida é sua e nada vai me impedir de te dizer que estou aqui para te amar, não sinto sua pele, mas sinto sua vida e sinto o calor das palavras que atingem meu coração. As vezes digo palavras que não queria dizer, por te amar tranquei dentro de mim toda minha vida. Desculpe por tentar uma vez fugir do seu olhar, porque no fundo sabia que te amava, mais do que a mim mesmo, mais do que o Sol que aquece meus dias,desculpe por roubar teus sorrisos e guardá-los em minha memória, me de mais um sorriso e um olhar, me de uma vida e um sonho, um motivo para sorrir! Ou somente uma palavra para que eu possa continuar vivendo meus sonhos, para que meu coração seja mais do que um eu te amo e saia a te procurar em todas as dimensões, em todos os lugares que tenha vida.
Desculpe, por olhar nos teus olhos sem chorar, desculpe por meus sonhos.
Já te culpei de minhas lagrimas, mas hoje eu quero dormir junto a você sempre para compensar o tempo que fiquei nocauteado e fiquei sem meus sonhos que me faziam sorrir.
Venha dormir junto comigo, dentro do meu coração, de onde te escrevo e termino dizendo, sou seu!
By Bruxo